Criciúma completa 80 dias sem o registro de homicídios

Com a aproximação do recesso de final do ano, a Divisão de Homicídios de Investigação Criminal de Criciúma (DIC), apresenta um balanço sobre as investigações dos crimes com morte realizadas nos últimos três anos na cidade. Segundo os números, em 2015 foram praticados 56 homicídios em Criciúma, sendo 44 deles esclarecidos, representando 78% de resolubilidade dos homicídios daquele ano. Ainda conforme o balanço, no mesmo ano ocorreu um latrocínio, que foi esclarecido, e duas mortes decorrentes de confronto com as polícias civil e militar.

Os números mostram também que em 2016 ocorreram 32 homicídios (43% a menos que em 2015), sendo esclarecidos 27 casos, resultando em 84% de resolubilidade. Além de cinco latrocínios, sendo quadro deles esclarecido, correspondendo a 80% de elucidação.

Com relação a 2017, os dados apresentam que até a última terça-feira, 18, foram praticados 16 homicídios na cidade (50% a menos que em 2016 e 71% a menos que em 2015), dos quais segundo o delegado de polícia e coordenador da DIC, André Milanese, 12 já foram esclarecidos. “Atingimos até o momento 75% de resolutividade”, informou a autoridade policial.

Em 2017 Criciúma teve até agora um latrocínio, que foi elucidado, e a morte de uma pessoa decorrente de confronto com a polícia militar. “Cabe informar que o índice de elucidação se refere a inquéritos policiais com indiciamento de suspeitos ou com indicação de autoria praticada por adolescente. Criciúma está completando 80 dias sem homicídio, seguindo um movimento contrário às grandes cidades do Estado, aonde infelizmente o número de homicídios vem aumentando”, destaca o delegado.

Ainda segundo ele, o êxito na redução dos homicídios na cidade e no alto índice de resolução se deve ao trabalho investigativo realizado pela polícia civil de Criciúma, o trabalho ostensivo realizado pela polícia militar e pelas perícias técnicas realizadas pelo IGP.

 

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.