Criança de um ano permanece internada após cair do terceiro andar de prédio

Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo

A criança de um ano que caiu do terceiro andar de um dos blocos do condomínio Ester Menel, no bairro Nereu Ramos, em Jaraguá do Sul, está internada no Hospital Jaraguá. Segundo a assessoria de imprensa, ontem, o menino estava aos cuidados da equipe médica na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Na última sexta-feira, o garoto fez uma neurocirurgia. Ele passou por um procedimento para a retirada de uma parte do osso do crânio.

Em conversa com os moradores do condomínio, eles relataram que a mãe da criança tem cinco filhos. Todos estão aos cuidados de uma vizinha enquanto ela acompanha de perto o filho no hospital. “Ela é uma mãe responsável e que cuida muito bem das crianças. Muito diferente de muitas mães que moram aqui. O que aconteceu foi um acidente”, conta um dos moradores, que não quis se identificar.

A janela da qual a criança caiu não tem tela de proteção. A abertura fica na sala da casa da família do menino, que provavelmente utilizou alguma coisa, o sofá talvez, para ter acesso. O garoto caiu de uma altura de aproximadamente nove metros e bateu a cabeça em uma calçada de concreto que fica na entrada do residencial. Uma tela de proteção evitaria a queda da criança. Vizinhos acreditam que a mãe teve um momento de distração, o bastante para que o acidente acontecesse.

A síndica do prédio, que também não quis se identificar, conta que os moradores são orientados a colocar redes nas janelas, mas que é uma responsabilidade exclusiva do condômino colocar ou não o dispositivo de segurança. “Essa moradora já mora no condomínio há sete anos. Esse é um acessório de segurança que cada morador deve colocar”, diz a síndica, que destaca que nunca houve um acidente desse tipo no condomínio.

O acidente aconteceu no fim da manhã de sexta, no condomínio localizado na Rua Luiz Sarti. Equipes do Corpo de Bombeiros Voluntários e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram chamadas para atender o caso por volta das 12h. Em um grande esforço das equipes de emergência a criança foi reanimada e levada em estado crítico para o Hospital Jaraguá.

Redes são normatizadas pela ABNT

As redes de proteção têm que ser instaladas respeitando as regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABTN). Mas não são regulamentadas pelo Inmetro, que diz que que os riscos das redes estão associados à instalação, inspeção e manutenção, e que essa responsabilidade é das autoridades estaduais e municipais.

Há três diferentes normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas, com orientações específicas para fabricantes de telas e de cordas e outra para as empresas que realizam a instalação. A NBR 16046-1 especifica os requisitos mínimos para fabricação de redes de proteção para edificações, orientando os fabricantes e laboratórios de teste.

A NBR 16046-2 especifica os requisitos mínimos de fabricação das cordas utilizadas para instalação de redes de proteção. A NBR 16046-3 especifica os requisitos mínimos para a instalação das redes de proteção para edificações, dirigida às empresas instaladoras de redes de proteção.

As telas resistem até 500 quilos por metro quadrado e são feitas de polietileno, podendo ser nas cores branca, areia, marrom ou preta. Os ganchos podem ser de inox ou galvanizados e instalados com um espaço de 35 cm a 40 cm para obter total segurança e ter a garantia.

Por Claudio Costa/ OCPNews

Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo

#criança, #jaraguá do sul, #queda apartamento, #um ano, home_destaque