Anúncio

[VÍDEO] Covid- 19: desenganada pelos médicos, após 51 dias na UTI, cura de Poliana é considerada um milagre

“Aqui hoje é só alegria”, disse animada e em tom de alívio, dona Marilza do Nascimento Vicente, mãe da içarense Poliana Vicente (Poli), 34 anos. Após 51 dias internada em tratamento contra a Covid-19 (desde o dia 24 de julho), Poli, recebeu alta ontem, 11, do Hospital São José de Criciúma. Superado os momentos difíceis, agora, ela está em casa sob os cuidados dos familiares.

Anúncio

“Graças a Deus recebemos um milagre. Um presente que Deus nos deu e só temos a agradecer. Foi lindo demais. A oração curou”, fala emocionada Adriana Silva, amiga de Poli e que esteve sempre junto e dando força aos familiares em todo o período da doença.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui

Era 13 horas, quando os familiares foram buscar Poliana, em clima de festa, fizeram uma comemoração pela vida. Do hospital, Poli fez um pedido, que a levassem ao Santuário Sagrado Coração Misericordioso de Jesus em Içara. Lá, o padre Antônio Vander estava à sua espera. “Deus te permitiu muitas coisas bonitas na vida, mas eu não tenho dúvidas, isso que te aconteceu, será um divisor de águas para sempre em sua vida”, considerou o padre.

O grande milagre

Casada, mãe de um garoto de 11 anos e de uma menina de um ano, Poliana é muito envolvida com a Igreja católica em sua comunidade, canta nas missas e sempre foi uma pessoa de muita fé. Durante o período em que ficou entubada, num coma induzido na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e já desenganada pelos médicos a corrente de oração por parte de amigos e familiares se intensificou. Muitos deles se reuniram em orações em frente ao Hospital São José.

“Os médicos nos informaram que o caso dela era gravíssimo e que poderia vir a óbito a qualquer momento”, conta Patrícia do Nascimento Vicente, irmã de Poliana. Segundo ela, após um mês de UTI, não havia melhora no quadro de saúde da irmã. Conforme Patrícia, ela não respondia aos estímulos, enfim as notícias eram sempre ruins. “Os médicos chegaram à conclusão de que o cérebro dela estava parando e só mesmo um milagre para melhorar. Mas desde o princípio sempre tivemos a certeza no coração de que Deus agiria”, acreditava Patrícia.

Foi numa sexta-feira, Patrícia lembra que a médica daria  notícias sobre o quadro de saúde de Poliana e que todos já se preparavam para o pior. “Nos reunimos à espera e para nossa felicidade, quando a médica chegou ao nosso encontro disse que Poliana estava com os olhos abertos e deu bom dia. Nem a médica acreditou”, recorda a irmã.

A partir desse dia, Poliana passou a ter pequenas melhoras. Os aparelhos foram retirados aos poucos, no último sábado foi retirada a traquio e no domingo recebeu alta da UTI, indo para o quarto. Para Patrícia, a música também ajudou na recuperação. “Poliana escutava áudio de músicas cantadas por ela mesma gravadas nas celebrações da igreja, além disso uma imagem de Nossa Senhora de Fátima foi colocada na UTI. Aconteceram muitas coisas e graças a Deus, o final foi positivo”, comenta.

Os primeiros sintomas

Dona Marilza conta que ao sentir os primeiros sintomas da doença e após uma consulta médica, a filha não recebeu como diagnóstico o coronavírus. “Disseram que era virose e não fizeram ao menos um Raio X dos pulmões. Ela voltou para casa e fez o tratamento indicado por dois dias, que apenas maquiou a Covid-19, que já estava dentro do corpo dela fazendo um estrago. A febre aumentou, começou a falta de ar e a levamos para o hospital. Lá que o médico nos alertou dizendo que ela positivou para o coronavírus e poderia entrar em óbito a qualquer momento”, recorda dona Marilza sobre a situação enfrentada. Foram 18 horas até que a família conseguisse um leito de UTI para Poliana. “Foi justamente no dia em que estavam recebendo os novos respiradores”, disse dona Marilza.

O contágio

Segundo a mãe, Poliana não tinha contato com ninguém e ficava somente em casa com as crianças, até porque a imunidade dela é baixa. “Não sabemos como aconteceu. Até o momento estamos sem saber ao certo como positivou. Minha neta saiu um dia para ir ao posto de saúde fazer vacina, e o mesmo, foi fechado por alguns dias pois algumas funcionárias testaram positivo. Então, a gente não sabe se foi isso”, relata.

Hoje, mesmo com todas as dificuldades, Poliana passa bem. “A fala dela está perfeita, tanto que está até cantando. Está mais debilitada na parte física e um pouco fraca. Foram momentos difíceis, mas conseguimos vencê-los. Foi realmente um milagre”, finaliza Patrícia.

 

Vídeo:

 

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo. Inscreva-se agora!

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.