Com a presença de Ana Botafogo, Unesc em Dança inicia 19ª edição

Completando o brilho da presença de mais de mil dançarinos que irão se apresentar ao longo dos três dias de Unesc em Dança, uma bailarina especial marcou presença e compartilhou experiências no primeiro dia do festival. O evento, aberto na noite de ontem, no Teatro Municipal Elias Angeloni, iniciou em grande estilo com palestra especial de Ana Botafogo, ícone no que diz respeito ao ballet no Brasil.

O Unesc em Dança, festival realizado pela Unesc e pelo Ministério da Cultura, tem o objetivo de promover o desenvolvimento e a valorização da cultura por meio da dança. Ainda em sua noite de abertura, com o teatro completamente lotado, a sua 19ª edição contou com as primeiras apresentações artísticas, já mostrando que mais uma vez irá levar encantamento ao público ao longo dos dias de realização.

 

Trabalho intenso

Para a coordenadora geral do evento e do Setor de Arte e Cultura da Unesc, Amalhene Baesso Reddig, o sentimento é de satisfação por poder oferecer à região, por meio da Unesc e seus parceiros, um evento de valorização da cultura. “Sabemos que a cidade se movimenta com a cultura e com a arte. Sendo assi, planejamos com carinho cada etapa desse projeto cultural. A cultura pode sim e é, sim, um grande negócio. Com nossos patrocinadores e apoiadores temos a convicção de que podemos alterar as condições do desenvolvimento cultural regional”, destacou.

Realizar um festival de dança desse porte, de acordo com a reitora da Universidade, Luciane Bisognin Ceretta, é uma forma de presentear a comunidade, verdadeira dona da Instituição. “Que alegria imensa ver o auditório cheio para esse evento. O desenvolvimento de uma região também se avalia pelos investimentos realizados em cultura. Por isso nós temos como eixo fundamental da gestão os investimentos que podemos fazer nessa área, isso é claro, por meio de um time que comanda os trabalhos com maestria. Tenho certeza que esses dias de evento proporcionarão conhecimentos e reflexões valiosos a todos nós”, salientou.

A abertura oficial do Unesc em Dança contou ainda com a presença da Pró-reitora Acadêmica da Unesc, Indianara Reynaud Toretti, da diretora de Extensão, Cultura e Ações Comunitárias, Fernanda Sônego e do presidente da Fundação Cultural de Criciúma, Sérgio Zappelini.

 

Presença garantida

Milhares de pessoas já participaram do evento como expectadores ao longo dos 19 anos do Festival e entre elas está a adolescente Mariana Rocha, de 15 anos. Ela faz parte do grupo de dança Culture Soul e, além de já ter se apresentado algumas vezes no Unesc em Dança, faz questão de conferir as outras apresentações. Nesta quinta-feira ela e as amigas também bailarinas garantiram seus lugares estratégicos no Teatro Elias Angeloni para ver de pertinho o ícone da dança Ana Botafogo. Para Mariana, que faz aulas de ballet desde os 4 anos de idade, a dança faz parte da sua vida de forma que não daria mais para viver sem dançar, portanto ela e as colegas não poderiam deixar de prestigiar a palestra de uma bailarina de tamanho destaque. “Nós a adoramos. Ela é maravilhosa e nós não poderíamos perder a chance de vê-la e ouvi-la”, comentou.

 

Programação

Ainda nesta sexta-feira e sábado (19 e 20/10) o Unesc em Dança oferece oficinas de Dança Contemporânea, Shines Salsa, Danças Urbanas, Ballet Clássico Intermediário e Dança Improvisação, além de palestras com profissionais renomados no mundo das artes. As oficinas serão ministradas por profissionais conceituados em suas áreas de atuação: o professor e coreógrafo Rodrigo de Andrade (Blumenau), medalha de ouro no evento Danzamerica em Córdoba, Argentina e indicado como melhor bailarino no Festival Mery Rosa em 2018; a professora, coreógrafa e bailarina Carina Trombim (Curitiba), tetracampeã brasileira de salsa – solista feminino; o educador físico, professor e pesquisador da cultura hip hop Henrique Bianchini (São Paulo); o professor, bailarino e coreógrafo formado na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, Stanley Carvalho (Blumenau) e a artista, professora, pesquisadora e integrante do Projeto Corpo, Tempo e Movimento, Sandra Nunes (Florianópolis). As noites de apresentações são gratuitas e tem início às 19h no Teatro Elias Angeloni.

#ana botafogo, #balé, #dança, unesc