Bandas dão show em festival

A família do maestro Rafael Machado respira a música. Com 25 anos de estrada, ele começou pequeno, tocando em bandas da região de Lages. Hoje, junto com a esposa Francine, estimula os filhos Angelo, Paulo e Laura a fazer parte do grupo. “Estamos juntos, é uma paixão”, comentou. Machado é maestro da banda Famcid, de Lages, uma das participantes do Festival de Bandas de Sopro e Percussão Satc.

O evento, realizado no último sábado (22), reuniu músicos de várias cidades catarinenses e serviu para integrar ainda mais os grupos. “Essa é a primeira vez que estamos em Criciúma, mas sempre participamos dos eventos. É uma troca de experiências muito boa, ainda mais para um grupo jovem como o meu, que tem entre 7 e 17 anos”, ressaltou Machado.

Além da Famcid outras nove bandas se apresentaram no festival. “Quem não veio, perdeu. O festival é uma oportunidade de mostrar um trabalho lindo que é feito. Mas ano que vem tem mais”, garante o maestro Pedro Apolinário, regente da Banda Marcial da Satc, a anfitriã do dia.

Com mais de 70 componentes, a banda do Colégio Dehon, de Tubarão, encantou o público. Mor, balizas e corpo coreográfico integram o grupo juntamente com os músicos. “É de arrepiar. Quando eles entram no ginásio e desfilam. É uma emoção acompanhar isso”, pondera a coordenadora da Escola de Talentos Satc Jucele Martins Coelho.

É essa emoção os jovens músicos da Dehon tentam passar. Julia Amaral, 17 anos, João Paulo Almeida, 16, e Seymi Leontina, 16, ingressaram no grupo em 2018, e aprendem sempre junto com os colegas mais experientes e com os novos amigos formados nos eventos. “A gente se diverte muito, mesmo nos ensaios, que são duas vezes na semana”, contou Julia. “No começo foi mais difícil, mas vale muito a pena”, destacou Seymi.

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.