Bancada Feminina contra Jessé Lopes irá além da Comissão de Ética

Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo

A Bancada Feminina da Assembleia Legislativa, representada pelas deputadas Paulinha (PDT), Luciane Carminatti (PT), Ada De Luca (MDB) e Marlene Fengler (PSD), estuda medidas jurídicas contra o deputado estadual Jessé Lopes (PSL), por incitar o assédio contra mulheres.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui

A importunação sexual é um ato que virou crime através da Lei 13.718/18. A deputada Paulinha disse que, desta vez, a representação não se limitará à Comissão de Ética da Alesc. “A advogada Ana de Blasi está nos aconselhando em relação ao regramento legal”, avisou.

Segundo ela, o caso poderá ser levado a órgãos como o Ministério Público e onde mais couber a ação. Paulinha disse que Lopes tem todo o direito de se posicionar, mas não de promover a violência e banalizar o assédio.

Desta vez, as declarações polêmicas foram em relação à campanha Não é Não, que consiste na distribuição de tatuagens temporárias a mulheres durante o Carnaval. As declarações do deputado contra o movimento feminista não começaram agora, mas desta vez ganharam repercussão nacional em jornais, revistas e redes sociais.

Só para citar algumas, no ano passado fez uma publicação ensinando como as “feminazis” deveriam lidar com os estupradores. Depois, implicou com o famoso protesto “Um estuprador no teu caminho” criado pelo coletivo Las Tesis, do Chile, com a finalidade de marcar o Dia Internacional do Combate à Violência Contra a Mulher e que teve edição em Florianópolis.

 

Por Juliana Wilke

Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo

#Política, Alesc, Bancada Feminina, Comissão de Ética

Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo
Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo