Balanço anual do Disque 100 registra aumento de 29,68% de denúncias de violações contra pessoas idosas

Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo

Há diversos tipos de violência que podem ser cometidas contra toda e qualquer pessoa. No entanto, especificamente no caso das pessoas idosas, as violências mais comuns que constam nos registros de denúncias são física, psicológica, sexual, financeira e patrimonial, moral e também de autonegligência.

De acordo com o último balanço realizado das denúncias recebidas no canal Disque 100, serviço oferecido pelo Ministério da Mulher, das Famílias e Direitos Humanos; em 2019 foram recebidas 21.749 denúncias de violações contra a pessoa idosa em todo o país. Os números representam um aumento de 29,68% em relação ao ano anterior (2018).

Entre as principais violações estavam negligência (79,26%), violência psicológica (48,40%), abuso financeiro e econômico (39,57%), violência física (23,91%), violência institucional (3,86%), violência sexual (0,45%) e discriminação (0,32%).

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui.

“São números que acendem o alerta sobre o assunto e o quanto temos que estar atentos. Não há um comportamento padrão que caracterize que o idoso esteja sendo vítima de violência. Mas pode-se levar em consideração qualquer alteração de humor e/ou comportamento fora da normalidade. Em caso de suspeita, recomenda-se que haja conversa com a pessoa idosa, sempre com bastante respeito para auxiliá-la nesse momento delicado”, afirma a  presidente da Comissão dos Direitos da Pessoa Idosa da OAB Subseção de Criciúma, Milly Christie.

Ainda de acordo com os dados, no primeiro semestre de 2019, as vítimas do sexo feminino foram maioria (63,07%), contra 32,12% do sexo masculino. No balanço geral, os idosos de 76 a 80 anos foram a maioria das vítimas de denúncias (18,17%), seguidos dos que têm de 66 a 75 (31,42%).

Comissão atua em diferentes âmbitos

Nesta segunda-feira, 15, marca o Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa. É visando ampliar os conhecimentos e discussão sobre esse tema tão relevante, que a Comissão dos Direitos da Pessoa Idosa atua ativamente em diferentes âmbitos, levando informação jurídica às pessoas, sobretudo aquelas que residem em local de vulnerabilidade social.

“Já realizamos inúmeras ações, tais como o Projeto OAB na Praça, palestras nos Centros de Referência e Assistência Social (Cras) e Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) nos municípios de Criciúma e Lauro Müller; além de rodas de conversas e visitas on-line às pessoas idosas institucionalizadas no Asilo São Vicente de Paulo, de Criciúma. São formas de disseminar informação e também ajudar essas pessoas”, acrescenta Milly.

A Comissão também atua em conjunto com outras instituições na inspeção de estabelecimentos destinados à saúde da pessoa idosa, como Instituição de Longa Permanência do Idoso (ILPI), elaborando pareceres e tomando as providências junto às autoridades competentes em caso de constatação de violências praticadas contra pessoas idosas, sempre visando o bem-estar e a garantia dos direitos dessas pessoas.

Como denunciar

– Disque 100 (Disque Direitos Humanos)

– Disque 181

– Disque Denúncia da Polícia Civil de Santa Catarina: (48) 98844-0011

– Ministério Público

– Defensoria Pública

– Delegacias Especializadas de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI) ou qualquer delegacia.

– Disque 190 (Polícia Militar – para as violências ou situações de emergência que estejam acontecendo no exato momento).

 

Fotos: Divulgação

Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo

#agressao, #denuncie, #disque 100, Comissão dos Direitos da Pessoa Idosa, Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa, OAB Subseção de Criciúma, Projeto OAB na Praça, Violência contra idoso

Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo
Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo