Amigos e familiares prestam a última homenagem ao ídolo Zé Carlos

Amigos e familiares compareceram para dar o último adeus, ao ex-volante José Carlos Bernardo, o Zé Carlos, 73 anos. Ele faleceu na manhã de ontem, em Belo Horizonte (MG), em razão de um acidente vascular cerebral (AVC). Zé Carlos já vinha com a saúde debilitada nos últimos anos, ele passou os últimos meses internado no Hospital do Barreiro.

Em 1986, ele foi o técnico campeão catarinense pelo Criciúma, mas grande parte de sua história foi no Cruzeiro. Segundo o superintendente de futebol do Criciúma, Robson Izidro, quem levou o ex-técnico para o Tigre foi Milioli Neto. “Ele era o gerente de Futebol do Avaí em 1985 e em 1986, quando foi para o Tigre fez a contratação”, conta. A diretoria do Criciúma, apresentou sentimentos e agradeceu a família de Zé Carlos pelas alegrias que proporcionou ao time e decretou luto de três dias. “Que Deus o acolha no reino dos céus”, lamentou pela perda Izidro.

Pela Raposa, Zé Carlos venceu a Copa Libertadores de 1976 e a Taça Brasil de 1966. Zé Carlos fez parte de uma época de ouro do Cruzeiro. Venceu nove Campeonatos Mineiros, sendo dois tetras: um na década de 1960 (1966, 1967, 1968 e 1969) e outro nos anos 1970 (1972, 1973, 1974 e 1975), além da conquista de 1977. Fazia parte do time histórico que goleou o Santos de Pelé em 1966, mas ainda não era titular. Em 1976, na primeira conquista da América, já era o dono do meio-campo celeste. Com o time estrelado, também foi vice dos Brasileiros de 1974 e 1975, vencidos por Vasco e Internacional, respectivamente.

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.