Ameaça ou brincadeira: aluno diz que vai dar tiro em professora de Direito

A professora de Direito da Unesc, Janete Trichês, se sentiu ameaçada por um ex-aluno. Janete participava no sábado (13), pela manhã de uma manifestação em favor do presidente Lula, que aconteceu em Criciúma, no Sul do Estado. Sua foto foi parar no grupo de Direito da Universidade. Após a foto, o homem, hoje aluno do Curso de Direito e também policial militar, posta a frase: “A onde é isso que boa dar um tiro”.

A frase foi considerada uma ameaça por professores e alunos do curso que foram solidários a professora e pediram para ela tomar providências. “Eu não faço parte desse grupo de WhatsApp. Tomei conhecimento pelos meus colegas e alunos que ficaram indignados. Se mostraram solidários e me pediram para que eu fizesse alguma coisa, não deixasse passar em branco pela seriedade do fato”, enfatiza.

“Estive agora a pouco na delegacia de polícia aqui do bairro com o coordenador do curso de direito e procurador da unesc, João Carlos Medeiros Júnior para registrar o fato. Na semana que vem estarei, junto com o coordenador procurando o Comando da Polícia Militar de Criciúma”, coloca. “Minha relação com o aluno sempre foi muito cordial, de respeito e civilizada, como deve ser. Estou muito triste com isso”, lamenta.

O autor da frase, disse que nunca imaginou uma frase, em tom de brincadeira, poderia ter tomado tamanha repercussão. “Foi em tom de brincadeira, não tem nada de ameaça ali. Estão fazendo um barulho que não é real. Sou uma pessoa do bem e não quis ameaçar ninguém. Eu adoro a professora Janete. É uma excelente profissional uma das mais antigas professoras do Curso de Direito. Estavam ali, todos brincando, é um grupo nosso. Uma pessoa, acho que viu que sou policial e quis me inibir na rede social. Eu vou procurar a professora Janete e me justificar e acertar com ela”, comenta o estudante que se disse surpreso pela repercussão.

Momentos difíceis

“Vivemos momentos sombrios, onde uma simples manifestação pública, de uma passeata, portando uma bandeira de Lula Livre, provoca este tipo de comportamento absolutamente contrário aos princípios mais básicos da democracia, do estado democrático de direito”, relata Trichês.

“O comportamento do presidente, desde a época de candidato, estimula a violência, o ódio, a misoginia, o machismo, a homofobia, todos comportamentos destrutivos que não contribuem em nada para a paz e a harmonia entre as pessoas, causa atitudes assim”, diz.

Apoio estadual

O Assunto, tornado público pelo também professor da Unesc, Nilso Felisperto, em seu facebook, já chegou até a Assembleia Legislativa de Santa Catarina. “A deputada Luciane Carminatti, ficou sabendo do caso e seu assessor Juliano me telefonou hoje avisando que ela vai se reunir com o comando da Polícia Militar de SC, em Florianópolis”, conta.

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.