AgroPonte recebe mais de 100 mil pessoas e confirma fortalecimento do agronegócio no Sul

Referência quando o assunto é agronegócio e agriculura familiar do sul de Santa Catarina, a AgroPonte encerrou sua 7ª edição com números impressionantes. Nos cinco dias de feira, passaram pelo Pavilhão de Exposições José Ijair Conti, em Criciúma, mais de 100 mil pessoas. Paralelo ao evento, ainda ocorreu a 5ª  Feira Exposição Estadual de Animais e o 2º Leilão AgroPonte.

“É claro que projetamos sempre o melhor, mas esta edição superou nossa expectativa em todos os sentidos. Do público visitante ao produto trazido pelos expositores. Tudo foi além do que nós esperávamos”, orgulha-se o diretor da NossaCasa Feiras & Eventos e idealizador da AgroPonte, Willi Backes.

Neste ano, 250 expositores levaram ao evento o que há de mais moderno no setor, desde tratores, máquinas, colheitadeiras, ferramentas, insumos e tenologias; até agentes para financiamento da produção. “Conseguimos mais uma vez mostrar a força do agronegócio em Santa Catarina. Tivemos expositores do Rio Grande do Sul, do Paraná, de São Paulo e Minas Gerais; mas 90% eram empresas eram catarinenses”, acrescenta.

Capacitação técnica

Outra característica forte da AgroPonte é o incentivo ao conhecimento técnico. Diversas palestras e cursos para debate fizeram parte da programação, como o 2º Seminário Regional de Gado de Corte, o seminário de Compras Institucionais de Alimentos da Agricultura Familiar, o 1º Simpósio Sul Catarinense do Cavalo Crioulo e

a 1ª Mostra Morfológica Regional do Cavalo Crioulo, organizado pelo Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos Sul Catarinense (NCCCSC).

“Ainda tivemos a caravana do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) que fez a apresentação do Plano Safra 2017. Foi uma ação importante do Banco do Brasil, que é um dos grandes parceiros da feira”, destaca Backes.

Feira Exposição de Animais

Um dos grandes atrativos da AgroPonte é a Feira Exposição de Animais, que reuniu 90 bovinos, 24 equinos e 80 ovinos, além dos caprinos, peixes, aves, pássaros e abelhas. “Esta é a terceira vez que participo da feira e posso afirmar com certeza que este ano foi nota mil em todos os sentidos. Além de fechar bons negócios, fiz contato com potenciais clientes”, afirma o proprietário da Bez Batti Cab

anha, Arnaldo Bez Batti. Dos 12 animais que ele levou para a exposição, cinco foram vendidos e dois estão reservados. “Para o ano que vem, vou trazer o dobro de animais, porque sei que daqui sairão bons negócios”, acrescenta.

 Quem também saiu satisfeito do evento, foi Beto Saretto, da Fazenda Saretto. “Sempre vim como visitante, e esta é a primeira vez como expositor e sem dúvidas vamos voltar. O contato que se faz aqui é gigantesco e só tem a acrescentar positivamente no nosso negócio”, reforça.

Leilão AgroPonte é sucesso

No ano passado o Leilão AgroPonte foi a grande novidade da feira. Este ano, realizado em um modelo diferente, com venda direta, o leilão mostra que veio para ficar. “Esta segunda edição foi fantástica. Reformulamos o modelo, o que deu muito certo. Dos 120 animais que estavam disponíveis para venda, 117 foram vendidos”, informa Backes.

Cooperativas mais fortes

A agricultura familiar é um dos pilares da AgroPonte e mostrou sua força mais uma vez. Foram 40 cooperativas, vindas das três microrregiões do sul do estado – Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense (Amesc), Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec) e Associação de Municípios da Região de Laguna (Amurel) –  formando um total de três mil famílias envolvidas e beneficiadas diretamente com a participação do evento.

home_destaque