Acordo sobre gestão compartilhada do Santa Catarina é fechado

Definir a gestão compartilhada e encaminhar a abertura efetiva da ala materno-infantil do Hospital Materno Infantil Santa Catarina (HMISC). Esta foi a pauta da reunião entre Administração Municipal, Governo do Estado e representante do Instituto Desenvolvimento, Ensino e Assistência à Saúde (Ideas), ontem, sexta-feira.

Atualmente o Ideas recebe R$ 253 mil de produção do teto do Sistema Único de Saúde (SUS) e R$ 1 milhão da Prefeitura de Criciúma. A partir do novo acordo, o Governo do Estado assumiria as despesas com contrapartida de R$ 396 mil mensais do município para manutenção dos serviços do pronto- atendimento.

Paralelo a isso, segue o cronograma de abertura da maternidade. Com esforços do Governo do Município, Governo do Estado e Ideas, a previsão é para setembro. O setor será destinado aos casos de alto risco, para isso, a instituição irá adquirir novos leitos de UTI neonatal. Segundo o secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande, as equipes realizarão reuniões periódicas para evoluir nas questões técnicas e burocráticas.

“Estamos avançando rapidamente na direção do nosso objetivo, abrir a ala materno-infantil. O Estado não poupará esforços para isto. Por isso, vim pessoalmente à Criciúma discutir o assunto com os técnicos. Aproveitei para vistoriar a obra e estamos bastante otimistas”, salientou o secretário.

Para o diretor-geral do hospital, representante do Ideas, Leon Lotti, o Materno Infantil será praticamente um novo hospital. “Hoje não fazemos nenhum parto ou cirurgia, não temos maternidade, Central de Material Esterilizável (CME) e centro cirúrgico. Depois de aberto, vai atender toda a demanda regional”, ressaltou.

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.