Acic apoia volta à normalidade das atividades do país

A Associação Empresarial de Criciúma (Acic) e os sindicatos empresariais externam sua preocupação com os reflexos da paralisação dos caminhoneiros para a economia brasileira.  Os prejuízos são incalculáveis e, em alguns casos, até irreversíveis, e se refletem em todos os setores, industrial, agronegócio, comércio e serviços. A volta à normalidade de todas as atividades faz-se necessária, para garantir que o caos não se instale no país e penalize ainda mais a população. As empresas estão paralisando suas atividades e dando férias coletivas aos seus colaboradores, provocando graves consequências para todos e uma maior retração da economia ainda tão frágil.

Mesmo reconhecendo a insatisfação dos caminhoneiros e da população em geral, o Governo Federal foi incapaz de tomar medidas para cortar privilégios e gastos públicos, ao contrário, o que vimos foi o repasse desses custos para outros setores da economia.

A união de todos os setores se torna necessária solicitando a eficiência do Estado, reformas, fim de privilégios e redução da carga tributária, garantindo assim um país justo e uma economia fortalecida.

A classe empresarial clama ao bom senso do movimento, ao diálogo e ao reestabelecimento imediato das atividades normais da sociedade.

Moacir Dagostin

Presidente da Acic

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.