A arte milenar do bonsai em exposição

Mais de 20 espécies de bonsai, como Azaléia, Caliandra, Jabuticaba, Shimpaku, Pitanga, Amora, Procumbens, Figueira, Buxus Harlandii, Serissa Chinesa, Acer entre outras floríferas e frutíferas, da coleção pessoal do bonsaista Ângelo Coffy, além de exemplares para comercialização, estarão expostas no 1º andar do Shopping Della até o dia 29 de setembro.

Segundo Coffy, o bonsai requer muita dedicação e cuidados como controle de rega, adubação, exposição ao sol, sendo que isso pode variar para cada espécie. “Cada uma tem a sua peculiaridade e adequamos o cultivo conforme suas necessidades, mas os cuidados básicos são rega, sol e adubação. É importante saber o que a planta necessita para ter um cultivo de excelência e explorar todo o potencial que a planta oferece”, explica.

Cultivo do bonsai como terapia alternativa

O especialista explica que seu interesse por bonsai começou há 15 anos, em uma exposição, e sua iniciação no mundo e no cultivo foram uma excelente alternativa para foco e controle de ansiedade depois que foi diagnosticado com Tensão de Ansiedade Generalizada (TAG).

“Encontrei no bonsai essa medicina alternativa e hoje dedico mais de cinco horas por dia para minhas plantas. Pois se passarmos a ansiedade para o cultivo, podemos matar a planta, o Bonsai é paciência e dedicação”, ressalta.

Além disso, segundo ele, a arte milenar do cultivo do bonsai exige uma visão de conjunto e atenção aos detalhes. “É uma arte que leva ao total envolvimento da pessoa que a pratica, trazendo enormes benefícios emocionais, pois cria um ambiente de apaziguamento e de contemplação”.

 

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.