Copirc comemora dez anos com avanços em Criciúma

Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo

Criada em 2009, a Coordenadoria de Proteção de Igualdade Racial de Criciúma (Copirc) realiza ações, formações e palestras em benefício da população negra. O órgão, pertencente à Secretaria Municipal de Assistência Social e Habitação, tem o objetivo de articular, criar e acompanhar ações para garantir acesso aos indivíduos e combater a discriminação e a intolerância. O registro no Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial (Sinapir) e a volta do Comitê Técnico de Saúde da População Negra, são algumas das conquistas obtidas durante os anos de existência.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui

“A gente não vai conseguir mudar uma realidade que existe há mais de 130 anos, que foi quando ocorreu a abolição. No entanto, precisamos ir trabalhando para que as questões raciais sejam discutidas e a gente vá avançando. A cada conversa que a gente tem, a cada ação, palestra e pessoa que passa a se conscientizar ou discutir o assunto, nós estamos evoluindo, mas ainda com a certeza de que levaremos alguns anos para conseguir a equidade racial”, explica a coordenadora da Copirc, Dainara Idalino dos Passos.

O Sinapir possui editais com verbas oriundas do Governo Federal destinadas para projetos de igualdade racial, em que só podem participar aqueles que estão registrados no sistema, como é o caso da Copirc.  Outro avanço foi o lançamento da campanha “Racismo é crime”, em parceria com o Conselho Municipal de Igualdade Racial de Criciúma (Compirc) em 2018, sendo distribuídos materiais impressos em escolas e em outros locais públicos. Ações da campanha também foram realizadas com o comércio, explicando sobre o crime, injúria racial, de que forma que isso ocorre, bem como a conscientização da vítima e do agressor.

“Essa coordenadoria é fundamental para que possamos promover, dentro dos equipamentos públicos e na cidade de forma geral, uma conscientização de igualdade racial. A Copirc atua na percepção de que somos diferentes no tom de pele, mas iguais perante um país que é democrático, livre e de oportunidade para todos”, complementa o secretário de Assistência Social e Habitação, Paulo César Bitencourt.

Copirc e Pmeder

Antes vinculada à Secretaria Municipal de Educação, a Copirc trabalhava as questões como um todo, restritas às escolas. Em 2018, foi feito um ajuste, ficando o Programa Municipal de Educação para Diversidade Étnica Racial (Pmeder) na Educação, conforme previsto na Lei de número 10.639 e a Copirc na Assistência Social. O Pmeder trata de conflitos entre alunos e professores e conflitos étnicos raciais, enquanto a Copirc trabalha a questão de saúde da população negra, imigrantes e suporte para os movimentos negros.

“O Pmeder vem para promover práticas educacionais pedagógicas, garantindo o cumprimento das leis que garantem o ensino da educação africana e afro-brasileira. Nós realizamos orientações nas escolas, formações com os professores, avaliamos a literatura, dentre outros projetos”, comenta a coordenadora do Pmeder, Lívia da Silva.

Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo

#copirc

Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo
Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo