Oficina forma Embaixadores da Justiça Climática em Forquilhinha

O Parque Ecológico São Francisco de Assis em Forquilhinha, recebeu um movimento mundial chamado de “Greve Geral pelo Clima”, que faz parte de um apelo pelo plantio de árvores, aprovado pela ONU.  A ação na cidade aconteceu ontem quinta-feira, 19, sendo especial para 60 alunos de cinco escolas de Forquilhinha.

O cenário escolhido foi uma combinação perfeita com o tema trabalhado durante todo o dia.  O evento foi organizado pela Câmara de Vereadores que trouxe, em parceria com a Fundação Ambiental (Fundaf), a Fundação Alemã Plant For The Planet.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui
O objetivo da atividade, intitulada de Academia, era despertar nas crianças e adolescentes o desejo de fazer a diferença quando se trata de meio ambiente. E esse papel foi cumprido. “Tem muitas pessoas que só se importam com o ambiente em que vivem, mas a gente precisa se preocupar com todo o planeta. O pouco que a gente faz pode se transformar em muito”, ressaltou a estudante de apenas 12 anos, Maria Helena Goulart.

O prefeito de Forquilhinha, Dimas Kramer, o vice Félix Hobold, a superintendente da Fundaf, Lilian Arns, e o presidente da Câmara de Vereadores, Maciel da Soler, também colocaram a mão na terra e ajudaram as crianças no plantio. “Esta ação vai deixar o nosso parque ainda mais bonito e atrativo. Futuramente, quando vocês retornarem neste espaço, certamente vão olhar para árvore que cresceu e sentir orgulho pela sua contribuição com o mundo”, ressalta o prefeito Dimas Kammer.

Todos esses estudantes que passaram pela capacitação receberam um certificado de “Embaixadores da Justiça Climática” e a missão deles não para por aqui, como explica o coordenador de projetos da Plant For The Planet, o alemão Lutz Michaelis. “Agora, esses embaixadores vão desenvolver projetos ambientais lá dentro de suas escolas, compartilhando o que eles aprenderam nessa Academia com seus colegas, fazendo dessa forma com que a ideia se multiplique”, garantiu Lutz.

A Academia foi finalizada com o plantio de 80 árvores nativas dentro do Parque. Cada uma delas tem uma placa que identifica a planta e o Embaixador responsável por ela. O presidente da Câmara de Vereadores, Maciel Da Soler, avaliou a ação de forma muito positiva. Além de toda questão ambiental envolvida, outro ganho importante foi a aproximação da cidade com a Alemanha. “Podemos dizer que Forquilhinha foi colocada no mapa do mundo com esta ação, já que o movimento é vinculado a ONU”, frisou Da Soler.

A missão
Todo esse movimento iniciou com um menino de 9 anos na Alemanha e a ideia já se espalhou por todo mundo. Estudantes de 9 a 14 anos recebem o título de Embaixadores da Justiça Climática e são eles que espalham o projeto, por meio das escolas. Em Forquilhinha, os trabalhos foram conduzidos por dois Embaixadores de escolas de Araranguá que já passaram por esse treinamento. A Yasmin Theisen de Figueiredo, de apenas 13 anos, recebeu o certificado em 2017 e agora faz questão de participar das oficinas realizadas pela região. “Ser Embaixador significa ter uma responsabilidade, um dever de plantar mais árvores e espalhar essa ideia o máximo possível. Tudo isso pra gente conseguir melhorar a terra onde nós vivemos e evitar desastres naturais no futuro”, finalizou Yasmin.
 
 
 

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.